dado

O OUTRO LADO DA REFLEXÃO

Written by Giovanni Nunes on . Posted in Crônicas e Artigos

O que será afinal de contas que influencia o resultado que obtemos no final de nossos esforços e trabalho? A maioria acredita que são forças invisíveis do destino que moldam nossa trajetória, de que nossas vitória e escolhas já estão escritas em algum lugar, portanto não tem como escapar. Bom se for assim não adianta fazer o trabalho de cada dia, mesmo porque no final de tudo já está tudo decidido, não é mesmo?

Crer desta maneira é levar uma vida no determinismo do destino já escrito, e não sei por quem, de que as coisas devem acontecer ou não em nosso caminho.

Em primeiro lugar devemos chamar uma atenção especial para uma reflexão. Repousar a responsabilidade no destino já escrito nutri a crença de que nossas ações são determinadas por linhas invisíveis antes de sairmos do ventre materno é bom modo de se justificar para as vitórias e principalmente para os fracassos que acontecem durante nossa existência.

É afirmar o que quero para a vida, mas arrumar a desculpa de que nada podemos fazer pois não estamos no controle já foi determinado por antecipação.

Mas quando entramos em profunda analise e refletimos descobrimos que nos programamos por um determinismo psicológico. Deixamos as circunstâncias guiar nossos passos e afetar nossa vontade e senso crítico prejudicando assim nossa capacidade de interferir e modificar o que acontece conosco.

O caminho mais curto sempre é o mais fácil, mas não quer dizer que é o correto. É mais fácil abandonar o trabalho, os estudos, os sonhos porque não está escrito nas estrelas que aquilo é para nós meros mortais. De que a vida de outros é que foi destinada para grandeza, de que a grama sempre será mais verde no quintal do vizinho e não há nada que possamos fazer.

Pronto poupei trabalho e trabalho duro de fazer as coisas acontecerem. Entramos em acordo com a vida, mas não estamos em paz de espirito. Sempre haverá tristeza ou revolta porque não fomos abençoados pelas letras do destino que escreveram nossa história.

Aqui vai um conselho que recebi certa vez de um Mestre de E-Bunto, disse ele: “ Assumir a responsabilidade do controle da vida que você ganhou do universo e o primeiro passo para ser bem-sucedido. “. Nunca me esqueci destas palavras e sempre penso que é minha responsabilidade tudo o que acontece ou não com minha vida.

Sou eu quem está no controle e para tudo acontecer devo eu, e somente eu, fazer o trabalho para que tudo venha a se concretizar, não no meu tempo, não no tempo do destino, mas no tempo certo em que força de vontade e decisão de se fazer se alinha e com o mundo e deixa tudo mais claro.

Podemos fazer crescer grandeza em nosso espirito quando assumimos que nada ainda está escrito, que podemos repousar nossa mão sobre o destino e ajudar a escrever nossa história.

Copyright: Sociedade Brasileira de Bugei - Todos os direitos reservados