imprevisibilidade humana

A imprevisibilidade humana

Written by Giovanni Nunes on . Posted in Crônicas e Artigos

“Conhecer o rio interior que flui, é ser previsível com a sua essência.”

São comuns em nosso cotidiano as pessoas nos admirarem por nossas atitudes, digo admirar no sentido de que, nossas ações, causam um tipo de espanto, que pode ser positivo ou negativo, dependendo do contexto da história. Lembro-me que quando criança e fazíamos arte esperamos sempre duas coisas: ou umas palmadas pela travessura ou um grande sermão. Sei que muito se fala se é válida ou não a palmada, mas hoje não vou abordar este assunto. O que quero dizer é que nem sempre as coisas aconteciam como pensávamos.

Havia momentos em que nenhuma dos castigos citados era aplicado, meu pai simplesmente sentava conosco e explicava de forma simples e carinhosa que não deveríamos fazer aquilo e tirava o resto do tempo para passar conosco, como se a traquinagem não tivesse sido feito por nós. Quem já não viveu um momento assim, esperava uma coisa e veio outra completamente diferente? Digo isso olhando em um prisma de infância, mas tudo se replica em todas as fases de nossa vida.

Se as pessoas que nos rodeiam nos surpreendem constantemente, o que podemos dizer de nós em relação a elas? Acredito que também as surpreendemos de modo igual ou até mais.

Os mestres mais antigos da escola sempre em nossas aulas falavam uma frase: “O ser humano e imprevisível.” Levei muitos anos para amadurecer a profundidade e ao mesmo tempo a simplicidade que eles queriam me ensinar. E acredito que em minha existência continuarei a sempre refletir sobre este pensamento da imprevisibilidade humana.

Ora, interagir com os pensamentos que se tornam ações no cotidiano não é algo fácil. Vejo, sinto ou faço parte de um contexto, logo posso ou não entender o significado disto ou daquilo que me cerca. Em minha interpretação “Eu” atribuo um significado e automaticamente estabeleço uma importância, que implica automaticamente em se ramificar na minha capacidade de aceitação ou não.

A vida tem me ensinado, em minha humilde concepção, que a receita pode ser em transformar esta informação, em forma de ação interpretada, segundos nossa capacidade de entendimento, é ter o equilíbrio, paciência e tolerância para se chegar a um acordo. Algo que não seja um julgamento tão duro (as palmadas) ou algo tão flexível que torna tudo muito comum e banal.

Seja como for, não deixe de aprender com a imprevisibilidade dos outros, mas acima de tudo não deixe a sua imprevisibilidade dominar a sua jornada.

Um conto zen

Há algum tempo atrás existia, numa distante e pequena vila, um lugar conhecido como A Casa dos Mil Espelhos. Certo dia, um pequeno e feliz cãozinho soube deste lugar e decidiu visitar. Quando lá chegou, saltitou feliz escada acima até a entrada da casa. Olhou através da porta de entrada com suas orelhinhas bem levantadas e abanando a sua cauda, tão rapidamente quanto podia.

Para sua grande surpresa, deparou-se com outros mil pequenos e felizes cãezinhos, todos a abanarem as suas caudas, tão rapidamente quanto à dele.

Nesse momento, deu um enorme sorriso e foi correspondido com mil sorrisos enormes. Quando saiu da casa pensou: ‘Que lugar maravilhoso! Voltarei sempre, um milhão de vezes’. Na mesma vila havia outro pequeno cãozinho, não tão feliz quanto o primeiro, que decidiu também visitar a casa. Subiu lentamente as escadas e espreitou através da porta. Quando viu mil cães a olhá-lo fixamente, rosnou e mostrou os dentes e ficou assustado ao ver mil cães a rosnar-lhe e a mostrar-lhe os dentes. Saiu correndo e pensou: “Que lugar horrível, nunca mais volto aqui!.” Todos os rostos no mundo são espelhos.

(texto zen retirado do site: http://www.nasrudin.com.br/ensinamentos/a-casa-dos-mil-espelhos.htm)

livros

MESTRE-ALUNO… DOS UNIVERSOS QUE CRIAMOS!

Written by bugei on . Posted in Crônicas e Artigos

Written by Jordan Augusto “É melhor merecer honrarias e não recebê-las do que recebê-las sem merecer.” (Mark Twain) Todo aquele que já foi aluno um dia sabe que as aspirações que permeiam a mente dos sonhadores, dos entusiastas, dos que são apaixonados, é um pouco diferente da consciência de investigação, ou daqueles que permanecem ajustados à sua história pessoal. A paixão, ainda que importante para a perseverança, pode fomentar uma série de desajustes na relação mestre-aluno. O ciúme é um deles! Continue lendo…
Video

VIDA… O TUDO QUE VAI E VEM!

Written by bugei on . Posted in Crônicas e Artigos

Monte-Fuji “Se vives de acordo com as leis da natureza, nunca serás pobre; se vives de acordo com as opiniões alheias, nunca serás rico.” (Sêneca) Seja por intermédio de uma crise repentina, de uma doença, estupidez, imprudência, ou mesmo de uma rajada de ventos de má sorte, agiganta-se o número de pessoas que perdem tudo da noite para o dia. Com um mundo veloz, instável, estamos atravessando um instante em que nossas posições estão cada vez mais sendo alteradas e nossas verdades refeitas.   Continue lendo
Copyright: Sociedade Brasileira de Bugei - Todos os direitos reservados